A nova técnica conhecida como aquamação, que visa substituir a cremação para o processamento de cadáveres de entes queridos.

Uma das indústrias que recentemente passou a utilizar ferramentas mais ecologicamente corretas é a funerária, com a implantação de uma nova técnica conhecida como aquamação, que visa substituir a cremação para o processamento de cadáveres de entes queridos.

O método, segundo seus desenvolvedores, é mais ecologicamente correto, pois requer até 90% menos energia para o processamento dos corpos do que os métodos tradicionais de cremação, bem como menos partículas finas são emitidas que são expelidas. No meio, cumprindo assim com as normas de regulação ambiental.


A aquamação consiste na introdução do corpo em um sistema cilíndrico de aço preenchido com água, que aumenta a temperatura interna até 100ºC, o suficiente para iniciar um processo físico-químico conhecido como "hidrólise alcalina". O processo de aquamação dura três horas, reduzindo o corpo a cinzas (semelhantes às obtidas com a cremação).


Esse método teve sua origem no Canadá em 2018 e, devido à sua boa aceitação pelo público, começou a se expandir para os Estados Unidos e países da União Europeia, principalmente na Espanha. Desde 2019, o Grupo Gayosso oferece esses serviços funerários na cidade de Tijuana, no México.

Ensename de Ciências Disponível em:https://ensedeciencia.com/2021/07/08/olvidate-de-la-cremacion-y-del-entierro-lo-de-hoy-es-la-aquamacion/

Nenhum comentário